Tempo a escapar...

By Sofia B. - novembro 09, 2013


Em tom de desabafo, em tom de confissão, em tom de ouvir-me a mim mesma e talvez assim mudar alguma coisa...

Cada vez mais sinto o tempo a escapar-me, a fugir-me e sinto que não o estou a aproveitar como gostaria, como tinha planeado, como seria previsto.

Há uns 6 anos atrás diria que hoje já estaria com alguém e com pelo menos um filhote.

Hoje sei que está longe de acontecer... e mesmo que veja a outra parte, mesmo que saiba que tenho feito coisas e atingido objectivos que possivelmente se estivesse casada ou fosse mãe não poderiam ter acontecido, mesmo assim há uma parte de mim que se sente culpada, sente essa falta quase como uma falha.
Estarei a ser demasiado exigente comigo mesma?!
Engraçado (não é a palavra mais adequada mas enfim!) é que soube há pouco tempo que mesmo que tivesse ficado grávida ou quisesse engravidar que não iria acontecer devido a problemas de saúde. Só daqui por uns tempos é que vou poder engravidar se assim o entender.
Contudo não vou ser mãe só porque sim, porque me apetece, é algo que só serei se sentir que tenho a pessoa certa ao lado... e actualmente não é o caso.

Nestes dias gostava mesmo de ter uma vida "normal" como as outras pessoas têm, como muitos dos meus amigos têm, como a maior parte das minhas colegas de trabalho têm. Casa, marido e filhos mais um cão ou gato para completar o quadro.

É muito interessante andar a trabalhar pelo país e até fora dele mas... já começa a fartar. Por uma vez que fosse gostava de ter alguma "estabilidade", assentar arraiais. Ficar perto da minha família, amigos, ter um trabalho por cá e aproveitar o que sinto que não estou a aproveitar.

Pelo menos estou a tentar fazer para que tal aconteça, vamos ver.
Neste "quadro-de-felicidade-perfeita" já não me falta tudo!! Gato e cães já tenho!!! Hum menos mal!

  • Share:

You Might Also Like

8 comentários

  1. Às vezes penso no mesmo. Já tenho o namorado, os gatos e a cadela (coelhos também) mas falta-me a estabilidade financeira. Nisto tudo o homem ja tem 30 e eu para lá caminho. Efeitos da crise...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas terá esta "crise" que nos definir e limitar?

      Eliminar
  2. Há uns tempos andava com o mesmo tipo de pensamento, se as escolhas feitas até aqui teriam sido as mais acertadas tendo em conta a vida que havia sonhado para mim quando miúda.
    E em conversa com um dos meus amigos mais próximos ele fez-me ver que a realidade que vivemos hoje em dia nos impede de realizar determinados objectivos que em teoria já deviam ter acontecido mas na prática a vida encarregou-se de me empurrar noutra direcção. No entanto, ele também me fez ver que a mudança de rumo também é uma escolha minha..não é fácil e, certamente, ainda me vai trazer muita angustia e sofrimento antes de alcançar aquilo que procuro...mas acho que a lição a tirar do que me foi dito é que temos de abandonar o que gostariamos que tivesse sido e aceitar quem somos hoje para sabermos o que queremos e onde o encontrar.
    (Divaguei um pouco, sorry).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim... a constante luta entre realidade vs sonho!...
      E não faz mal a divagação! Que seja um espaço de divagação!
      ;)

      Eliminar
  3. Olha já eu, gostava de ter uns tempos só para mim. Amo o marido, o filhote , os peixinhos, amava o cão que tinha e que há pouco se foi... mas dou por mim a pensar como seria se fosse solteira, descomprometida, livre como um pássaro. Sonhar não custa e não tira pedaço a ninguém. Aproveita cada momento como único (porque assim acredito que o é, saõ todos únicos) e tira o melhor partido deles. Tem-se filhos qdo se tem de ser, casa-se qdo acontecer e etc etc... não há um tempo certo para tudo, há um tempo certo para cada pessoa! :D Palavra de Secretária, Mulher, Mãe, Amiga e gaija comum como qualquer outra!! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei dessa tua frase"não há um tempo certo para tudo, há um tempo certo para cada pessoa"!!!

      =)

      Eliminar
  4. No conto da Alice, há por lá um coelho instável que vivia em função do tempo.
    A estabilidade tem vários prismas, desde o factor emocional ao factor profissional. Logo, creio que é na harmonia que reside porventura o desenlace que procurámos. Não corras desenfreada como o coelho, mas corre pelo que desejas assimilar. O tempo terá de viver em tua função, pois aquele que nos é concedido por este planeta é demasiado exíguo.
    Vê realmente pelo lado positivo, tens cães e gato... e dispensas o tal coelho...
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente coelho é animal que dispenso sim!

      Eliminar

Deixa a tua marca